top of page

Pólipos intestinais – os precursores do câncer de intestino

O câncer de intestino é o principal temor observado em um consultório de coloproctologia. Mas de onde ele vem?

Em sua maioria, os cânceres se desenvolvem a partir de pólipos, que são estruturas benignas, elevadas em relação à mucosa (parecem verrugas) e que se manifestam no intestino grosso de alguns pacientes. A forma dos pólipos podem váriar, podem ser pediculados (em que há uma espécie de tronco que o separa da parede do intestino – figura 1), sésseis (planos – figura 2), subpediculados (elevados, mas sem separação com a mucosa do intestino – figura 3).

Figura 1 - pólipo pediculado de intestino (fonte - arquivo próprio)

Figura 2 - Exemplo de pólipo séssil (fonte - arquivo próprio)

Figura 3 - pólipo adenomatoso subpediculado identificado durante colonoscopia (fonte - arquivo próprio)

Alguns tipos de pólipos, os adenomas, são lesões pré-malignas, ou seja, que têm capacidade de se tornar malignas com o passar do tempo. Eles não têm causa específica e tem sua origem relacionada a fatores genéticos, alimentares (com ingestão de excesso de carnes vermelhas, embutidos, bebidas alcoólicas, sal) e comportamentais (sedentarismo e tabagismo).

Esta informação é muito importante; nem todo pólipo vai se degenerar e então a presença de pólipos no intestino não quer dizer que seja sempre um pré-câncer.

Como o intestino apresenta 1,5m de extensão em média, o exame físico, durante a consulta médica não é suficiente para avalia-lo em sua totalidade. Precisa-se de uma ferramenta mais adequada, exigindo então o papel dos exames estruturais, a colonoscopia e a colonoscopia virtual.

A diferença entre os dois métodos pode ser observada abaixo:

A colonoscopia consiste na passagem de um aparelho capaz de obter imagens em tempo real (filmagem) do intestino e por ser maleável e controlável pela manopla, pode ser inserido através dos seguimentos intestinais, identificar os pólipos e removê-los na maioria dos casos.

A colonoscopia virtual é um método em que imagens do intestino são obtidas por um exame de tomografia computadorizada e reconstruídas através um programa de computador.

A principal vantagem da colonoscopia virtual é a rapidez do exame e a não necessidade de sedação ou introdução de um aparelho pelo intestino para sua realização, o que diminui o risco de complicações anestésicas e perfurativas. Todavia, ela não permite a remoção dos pólipos, o que, às vezes, torna necessária a realização de um exame de colonoscopia convencional para ressecá-los após a sua detecção (figura 4).

Figura 4 - Imagem de pólipo sendo removido durante colonoscopia (fonte - arquivo próprio)

Sabendo da importância da prevenção do câncer de intestino, é recomendada a vigilância a partir os 45 anos para pacientes que não sentem nada e que não apresentam fatores de risco. Para saber mais sobre os indivíduos que devem ser avaliados mais precocemente, clique aqui.

Até a próxima!

Comentarios


bottom of page