top of page

Cirurgia de Hemorroidas - como ter uma boa recuperação?

A recuperação de uma cirurgia convencional de hemorroidas está associada à ideia de dor intensa e é cercada por mitos e receitas familiares que podem auxiliar, mas que na maioria das vezes pioram o sofrimento do paciente.

fonte: http://clipart-library.com/clipart/gce5MLebi.htm

Primeiro, é preciso ressaltar que existem vários tratamento clínicos e técnicas cirúrgicas para tratamento da doença hemorroidária e somente o especialista pode indicar a melhor conduta para cada paciente. Trataremos neste texto, apenas da cirurgia considerada convencional de hemorroida (técnicas de Milligan Morgan e Fergunson).

Quando bem indicado e realizado, o procedimento cirúrgico é altamente resolutivo, com baixa taxa de recorrência e complicações e melhora em muito a qualidade de vida do paciente.

Para tanto, é importante observar alguns fatores:

- O ânus é um local contaminado e tem que manter sua função no pós-operatório, isto faz com que a ferida seja submetida a condições desfavoráveis à cicatrização e daí a dor.

- A consistência do bolo fecal e a condição de expulsão das fezes são importantes para a cicatrização e a diarreia e constipação (prisão de ventre) são prejudiciais.

- A saída de secreção pela ferida e o fato de ela estar aparentemente aberta no pós-operatório não querem dizer, necessariamente, a presença de complicações.

Então, a dor é normal? Bem, considerando os fatos, a dor é um fenômeno associado á estes procedimentos e se não estiver associada a complicações, vai passar em aproximadamente 14 dias.

As seguintes orientações podem auxiliar na recuperação dos pacientes e diminuir o sofrimento neste momento tão delicado:

- Alimente-se com produtos ricos em fibras e hidratação adequada. A prisão de ventre é inimiga e esforço evacuatório e fezes muito duras estão associados à maior risco de complicações. Para exemplo de dieta rica em fibras clique aqui.

- Ingestão de alimentação apenas líquida (sopas e caldos) não auxilia na recuperação. O bolo fecal bem formado é parte importante no pós-operatório.

- Não abuse dos laxativos. Assim como a prisão de ventre, a diarreia também prejudica a evolução, com fezes ácidas e irregulares que traumatizam a ferida.

- Evite o papel higiênico. Dê preferência para a higienização com água que limpa melhor e auxilia no manejo da dor.

- Excesso de sabão também é ruim. A limpeza excessiva com produtos de limpeza e sabonetes antibacterianos removem as defesas locais e irritam a ferida, podendo piorar a evolução local.

- Não pratique exercícios físicos e pegue peso demais. O repouso relativo permite uma recuperação mais adequada. Atividades de menor exigências física são permitidas, todavia o exercício físico pode gerar inchaço local, dor e complicações.

- Evite o excesso de umidade. Pequenas quantidades de secreção (pus, sangue e secreções) são usuais em um pós-operatório, mas o excesso de umidade causa maceração da pele, diminui as defesas e aumenta a chance de proliferação de fungos e bactérias. Mantenha um produto absorvente próximo à ferida para protegê-la.

- Banhos de assento muito demorados ou com produtos químicos podem prejudicar a cicatrização. Deve ser evitado tempo acima de cinco minutos em banhos com água morna (cuidado com a temperatura para não se queimar) ou com produtos químicos (violeta genciana, chás) pelo risco de excesso de umidade e irritação local. Somente seu médico pode te orientar se haverá necessidade de banhar o local com medicamentos.

- Gelo local por 3 a 5 minutos no local pode ser benéfico. O gelo diminui o edema e a dor local, mas cuidado para não haver queimadura pelo gelo, evite exposição excessiva.

- Relações sexuais anais devem ser evitadas até a liberação pelo médico assistente.

- Siga as orientações dadas e utilize as medicações prescritas, não invente.

- Avise seu médico se houver sinais de complicações: hemorragia, febre e edema crescente que irradia para a nádega não são considerados normais e o cirurgião deverá ser comunicado ou o paciente deverá se dirigir a um pronto-atendimento.

Pronto! A recuperação da cirurgia de hemorroida não é fácil e haverá sofrimento, mas seguindo estas orientações, o pós-operatório deverá ser mais tolerável, menos doloroso e mais rápido. Até!

Comentários


bottom of page