top of page

Quando é possível fazer a cirurgia de reversão da colostomia?

Nesta semana, a cantora Preta Gil anunciou a reconstrução do seu trânsito intestinal como etapa final do tratamento cirúrgico de seu câncer de intestino. Com isso, surgem as dúvidas sobre a cirurgia de reversão da colostomia ou ostomia.


Antes de tudo, gostaria de expressar minha felicidade pelo fato de ela ter passado por mais essa etapa da caminhada de luta e força, que é o enfrentamento à doença, e acho importante trazer luz a esse tema tão pouco conhecido pelas pessoas em geral.


Sempre se fala muito sobre a indicação de uma ostomia, sobre a vida de uma pessoa ostomizada e até sobre como desmistificar a sua existência. Por outro lado, pouco se discute acerca da reconstrução do trânsito intestinal ou como popularmente é conhecido o “fechamento” ou a reversão da ostomia.


Reversão da colostomia: Momento de felicidade!

A partir do momento em que um médico identifica que o paciente pode passar pela reversão da ostomia, isto é, a pessoa ostomizada está apta a ter seu trânsito intestinal reconectado, isso significa que ela poderá voltar a evacuar pelo ânus. Imaginem como isso é importante!


Regras para a reversão da ostomia

Para tanto, há que se seguir algumas regras.


O paciente deve:


  • Ter se recuperado do procedimento em que foi necessário a confecção do estoma.

  • Estar bem nutrido.

  • Estar sem sinais de inflamação, infecção ou vazamento de secreções intestinais, dentro do abdome.

  • Ter feito os exames indicados para avaliação da integridade intestinal.


Se houver necessidade de tratamentos complementares como quimioterapia ou uso de imunossupressores e antibióticos, cada caso deve ser analisado individualmente.


Quanto tempo espera para a reversão da ostomia?

O tempo para a reversão da ostomia varia muito. Quando a ostomia foi confeccionada preventivamente para proteção de uma emenda intestinal (anastomose), a correção pode ser feita em menos de um mês.


Por outro lado, em casos em que a indicação foi por complicações intra abdominais de cirurgia ou em diverticulites perfuradas, pode-se levar muito tempo para definir o fim da sua necessidade.


É por isso que, em caso de cirurgias programadas, é necessário conversar bem sobre todas as possibilidades antes de ir para o bloco cirúrgico.


A cirurgia de reversão da colostomia deve obedecer alguns critérios
A cirurgia de reversão da colostomia deve obedecer alguns critérios

É necessário abrir a barriga para reverter a ostomia?

Como pudemos ver em nossos textos específicos sobre colostomias, a emenda do intestino pode ser realizada com ou sem necessidade de entrar na cavidade abdominal.


No caso da cantora Preta Gil, ela apresentava ileostomia, que é a exteriorização de uma parte do intestino delgado, sem que haja a desconexão intestinal completa.


Particularidades da ileostomia

A ileostomia tem por objetivo fundamental permitir que as fezes saiam nesse ponto exteriorizado do intestino, desviando o trânsito e permitindo que a emenda realizada por conta da retirada do câncer “descanse” e cicatrize com menor risco de complicações.


Para reconectar é necessário apenas que seja desfeita a ostomia no próprio local em que foi confeccionada e realizada a emenda com uso de grampeadores especiais ou com pontos cirúrgicos. O intestino é reintroduzido pelo próprio orifício, sem necessidade de abertura do abdome.


Em outros casos de colostomia, em que apenas uma parte do intestino é exteriorizado e o outro segmento que será reconectado está dentro da barriga, aí, sim, é necessário que se acesse o interior da cavidade abdominal, seja ela por via aberta (corte), laparoscópica (vídeo) ou robótica.


Riscos da cirurgia de reversão da colostomia

Apesar de ser uma cirurgia com menos risco do que a primeira, toda reconstrução do trânsito envolve a emenda do intestino e com ela, há chances de vazamentos se a cicatrização não ocorre como desejada. Sendo assim, pode até acontecer a necessidade de reoperar e fazer nova ostomia em caso de complicações.


Em outras palavras, pergunte tudo para o seu médico antes de ir para o bloco cirúrgico.


Por que a colostomia é importante

Ostomias salvam vidas e ajudam na rápida recuperação de cirurgias de grande risco. Seu fechamento representa uma importante etapa a ser vencida e comemorada pelos pacientes. 


Para tanto, é preciso entender que, indicar bem a cirurgia de colostomia, realizá-la no momento certo e com os meios e materiais corretos aumentam demais a chance de sucesso.


Vamos quebrar tabus e disseminar o conhecimento do bem!

bottom of page