top of page

Cuidados após a cirurgia de intestino: orientações dadas aos meus pacientes

Quais são os cuidados que os pacientes devem ter no pós-operatório da cirurgia de intestino? Vamos nos divertir em um texto informativo hoje? Vou falar sobre as orientações dadas aos meus pacientes.


O cuidado domiciliar após a cirurgia de intestino é motivo de dúvida não só da própria pessoa operada, mas também para familiares, acompanhantes, amigos e todos aqueles envolvidos no tratamento.


Cuidados após cirurgias são debatidos sempre

Primeiro, vamos com calma, minha gente: os cuidados pós-operatórios são motivo de debate em congressos, entre colegas e até membros de uma mesma equipe.


Por isso, a seguir colocarei aqui as orientações dadas a maioria dos meus pacientes e não devem ser extrapoladas a todos os casos. Lembrem-se também que escrevemos aqui procedimentos gerais e com objetivo de direcionar o acompanhamento, ou seja, não é um manual de condutas. Sempre converse com o seu médico antes de tomar qualquer atitude frente a sua recuperação.


Cuidados após a cirurgia de intestino

Então, vamos lá! Quando uma operação envolve o intestino, consideramos muitas variáveis para orientar os pacientes, como:


  • A cirurgia foi programada ou de urgência?

  • O motivo foi por câncer ou era doença benigna?

  • O paciente tem outros problemas de saúde?

  • Qual é a distância do local onde ele vai se recuperar e o hospital de referência?

Recuperação inicial no hospital

Considerando a recuperação inicial no hospital após a cirurgia de intestino, os pacientes geralmente recebem as seguintes recomendações: 


Dieta no pós-operatório

As questões relacionadas ao que o paciente vai comer e quando são motivos de debates recorrentes e não há consenso, mas o que seguimos no dia em que este texto foi escrito é que não há restrição de alimentação no pós-operatório imediato, desde que não tenha havido complicações.


Sendo assim, normalmente, uma dieta líquida ou sólida mais cozida é liberada para ver se a pessoa tolera bem e depois, se sim, pode ingerir o que quiser. Opa, mas tem que lembrar que não se deve comer de maneira forçada e nem com exagero.


Movimentação após a cirurgia

A mobilização precoce ajuda a:


  • Diminuir a chance de complicações pulmonares como pneumonia e embolia

  • Agilizar o retorno da função normal do intestino

  • Acelerar a recuperação geral da pessoa


Após o doente chegar ao quarto, o médico orienta sobre o tempo que ele deve repousar e geralmente já libera precocemente caminhadas no quarto e em alguns casos até no corredor.


Cuidados com a ferida operatória

Nossa equipe é especializada em cirurgias minimamente invasivas, então, os cortes são usualmente pequenos e o paciente já sai com o curativo feito pela equipe de instrumentação. 


Depois, no dia seguinte, o curativo é removido e, com 24 horas, não é mais necessário cobrir a ferida, desde que não haja secreção como sangue, líquidos ou pus.


Atenção com sangramento pelo ânus

Nos primeiros dias de pós-operatório é comum que o paciente sinta vontade de evacuar e saia sangue, coágulos ou fezes escuras pelo ânus. Esse processo para sozinho geralmente e não há com que se preocupar.


Eventualmente, pode haver hemorragia, com grandes quantidades de sangue líquido exteriorizando. Nesses casos, a equipe do andar deve ser avisada imediatamente. 


Em caso de dúvida, a equipe de enfermagem do hospital é capaz de orientar o acompanhante e saber quando a equipe médica assistente responsável ou o plantão deve ser contactada.


Cuidados domiciliares após cirurgia de intestino

Hoje em dia, a maioria das pessoas tem alta com menos de quatro dias de pós-operatório e isso muitas vezes gera uma sensação de insegurança e de que seria maior necessidade de assistência hospitalar.


Mas não se preocupem! O médico só dá alta em quem acredita estar com a evolução adequada. Além disso, nós sempre tentamos orientar para saberem sobre os cuidados básicos e sinais de alerta.


Vamos enumerar para vocês agora os principais deles:


1. Identificar quando algo não vai bem

​O normal é o paciente ir melhorando a cada dia, mas se a pessoa sente que algo não está indo bem, deve contactar a equipe médica. Ou seja, o médico deve ser avisado e/ou o paciente deve ser levado ao serviço de urgência quando houver:

  • ​Febre recorrente

  • Dor abdominal

  • Paralisação do intestino e/ou vômitos 

2. Evitar exageros

​Nada de comer aquela lasanha ou feijoada no primeiro dia que chegar em casa! Vá com calma. O paciente pode comer de tudo, mas alimentos de mais fácil digestão são melhor tolerados. Não vale a pena passar mal à toa.


Evite exageros alimentares após a cirurgia de intestino
Evite exageros alimentares após a cirurgia de intestino

​É normal ficar com apetite diminuído pelos primeiros quinze dias, mas não se preocupe, ele vai voltar.


3. Manter a hidratação é fundamental

​Olhe a cor da urina, pois ela deve estar clara, abundante e transparente. Se estiver muito amarelada ou escura, aumente a ingestão de líquidos e, se não melhorar, procure ajuda médica.


4. Consumir proteína é importante

​Alimentação com carboidratos são mais bem toleradas, mas lembrar de ingerir proteínas como ovo, carnes e suplementos, uma vez que ajudam muito na recuperação.


5. Manter a ferida limpa e longe do sol

​A limpeza da ferida ajuda a diminuir a chance de infecção, então o paciente deve perder o medo do sabão. Ou seja, lave bem durante o banho e não deixe ficar úmida por muito tempo, seque bem e faça curativo quando necessário.


​O sol pode manchar, então recomendamos evitar exposição solar das cicatrizes da cirurgia por período aproximado de seis meses.


6. Adaptar a rotina de exercícios físicos

Após 15 dias da cirurgia de intestino, as caminhadas leves são liberadas e, com um mês, pode ser até acelerada. Corrida e exercícios físicos de maior intensidade devem ser analisados caso a caso, mas normalmente liberamos após dois meses.


O risco de hérnia nas incisões deve ser sempre considerado e cada cirurgia tem um risco diferente uma da outra.


Conclusão

As orientações listadas aqui são gerais e outras particularidades devem ser discutidas individualmente de acordo com a peculiaridade de cada caso. É por isso que a proximidade e confiança entre médico e paciente fazem toda a diferença. Não se acanhe, pergunte.

Comentários


bottom of page