top of page

Medo de anestesia: qual procedimento da coloproctologia não precisa dela?

Quem tem medo de anestesia costuma procurar saber quais procedimentos podem ser feitos sem ela.


No caso dos procedimentos coloproctológicos, a dúvida é se aplicação de toxina botulínica (Botox©), ligadura elástica, cauterizações e cirurgias, precisam ou não de anestesia para casos ambulatoriais.


Evolução da anestesia na medicina

Nos últimos cem anos, a anestesia talvez seja a parte da medicina cuja evolução mais impactou na qualidade do trabalho dos cirurgiões e, consequentemente, de seus pacientes.


O tratamento das doenças por meio de cirurgia, no início dos anos 1900, era precária, e o sofrimento dos pacientes era tamanho que os grandes cirurgiões eram conhecidos pela velocidade na execução dos procedimentos.


Em outras palavras, rapidez significava menos tempo de dor.


Medo de anestesia fazia sentido antigamente

Mesmo após a introdução dessas medicações com intuito de diminuir a dor e alterar o estado de consciência das pessoas, tornando mais tolerável o que era feito em uma operação, as drogas utilizadas e monitorizações disponíveis eram tão precárias que determinavam um risco de vida considerável.


Tanto isso é verdade que o medo de anestesia é comum em muitas pessoas, até mais do que a própria cirurgia.


Agora, sem medo de anestesia

Esse tempo já foi e, hoje, temos segurança cada vez maior de realizar procedimentos simples e complexos com conforto e agilidade. Agora, ainda melhor é a disponibilidade de realizar procedimentos quando não há necessidade de internação.


Num mundo em que o tempo é uma commodity que não pode ser desperdiçada, resolver um problema sem ter que passar pelo hospital ajuda muito. Todavia, isso limita a realização de certos tipos de analgesia.


Assim, gostaria de usar essas linhas para vermos quais procedimentos podem ser realizados com ou sem anestesia.


Tipos de anestesia

Primeiro, vamos entender quais os tipos mais básicos de anestesia ambulatorial.


Anestesia tópica

A anestesia tópica consiste na aplicação direta de medicação para diminuir ou bloquear o estímulo doloroso sobre a pele ou mucosa. Não há ruptura da superfície das estruturas.


Anestesia local

A anestesia local é a infiltração do anestésico no local que se quer operar.


Geralmente, ela fornece qualidade adequada de bloqueio da dor, mas, no caso das doenças anais, pode causar desconforto no momento da aplicação.


Bloqueio regional

Essa anestesia pode ser do tipo raquidiano ou peridural.


O bloqueio regional consiste na aplicação do anestésico nas costas, próximo à medula espinhal e que gera uma anestesia de toda região do ânus e próximo dela.


Sedação

A sedação consiste no uso de medicações, por via intravenosa, para diminuir a consciência e o estímulo doloroso. O paciente perde completa ou parcialmente as funções, de acordo com a profundidade programada pelo anestesiologista.


Anestesia geral

A anestesia geral é a forma mais profunda de sedação, em que a perda completa da consciência leva à dependência de suporte ventilatório e monitorização mais intensiva dos sinais vitais, de modo a manter a segurança do procedimento.


Como as anestesias são utilizadas

Geralmente, as anestesias por meio de bloqueio, sedação e geral são realizadas em clínicas especializadas ou hospitais, mesmo sem a necessidade passar a noite na instituição.

Conhecimento ajuda a superar o medo de anestesia
Conhecimento ajuda a superar o medo de anestesia

Cada vez é mais comum a realização de cirurgias em regime de hospital-dia, em que o paciente entra durante o dia e tem alta antes de completar 24 horas internado. O ideal é que sempre haja presença de profissional anestesiologista acompanhando o paciente – isso gera mais segurança e tranquilidade para todos.


Anestesia para cirurgias orificiais

As cirurgias orificiais – realizadas pelo ânus – são melhor conduzidas com anestesia geral, bloqueio ou local mais sedação. São, portanto, mais indicados para clínicas especializadas e hospital.


Entretanto, os procedimentos que não envolvam uso de medicações podem ser realizados com segurança em consultórios e ambulatórios, desde que observados cuidados na seleção dos pacientes e dos problemas envolvidos.


Procedimentos coloproctológicos em consultório

Considerando o que mencionamos, um número significativo de tratamentos de doenças pode ser resolvido no próprio consultório. Vamos conhecê-los?


1. Ligadura elástica de hemorroidas

A ligadura é indicada no tratamento de hemorroidas grau I, II e III, sem gerar a necessidade de anestesia, apenas envolvendo posicionamento de anel elástico na hemorroida de maneira a estrangulá-la e gerar resolução duradoura.


2. Cauterização química

A cauterização é muito indicada no tratamento de verrugas anais e destruição de pequenas lesões. Causa pequena irritação e desconforto, todavia pode ser bem tolerada sem anestesia.


3. Dilatações anais

Em pessoas que estão com estreitamento anal, a dilatação anal pode ser feita com uso de toque digital ou uso de velas apropriados.


4. Aplicação de toxina botulínica

No tratamento das fissuras anais, pode ser utilizada toxina botulínica – popularmente conhecida como Botox© – que, em pacientes selecionados, ajuda muito na cicatrização de feridas.


Informe-se sobre o procedimento

Se você tem medo de anestesia ou não, o mais importante é você se informar bem sobre tudo o que for ser realizado.


A dor é uma sensação subjetiva, afetada por múltiplos fatores pessoais e ambientais. Sendo assim, uma ligadura pode ser indolor para uns, mas insuportável para outros.


Cabe ao médico experiente identificar e, junto com seu paciente, fazer escolhas inteligentes que obtenham os melhores resultados.


Até semana que vem!

Comments

Couldn’t Load Comments
It looks like there was a technical problem. Try reconnecting or refreshing the page.
bottom of page