top of page

Cirurgia robótica de endometriose: vale a pena operar?

A cirurgia robótica de endometriose é uma possibilidade real para pacientes com esse problema. Mas é importante entender melhor suas indicações, e é justamente isso que vamos buscar esclarecer ao longo do texto.


Em um post anterior, discutimos o que há de novo na cirurgia minimamente invasiva, com assistência robótica, mais conhecida como cirurgia por robô. Vimos que não é exatamente um sistema automatizado, que opera sozinho. Na verdade, é o cirurgião que, definitivamente, realiza o procedimento e utiliza a assistência da plataforma, levando a ganhos para o resultado final.


Entretanto, não devemos pensar que tudo que se pode fazer em cirurgias do intestino, por meio da robótica, serve para as demais. A abordagem do câncer não é a mesma que a de doenças benignas e a endometriose, principalmente, que tem características muito especiais.


Características da cirurgia de endometriose

A maior parte das lesões encontradas na endometriose se concentram na pelve feminina, o que praticamente restringe a área de atuação do cirurgião.


Em outras palavras, essa região é bastante limitada, com grande quantidade de estruturas e órgãos nobres, de difícil visualização e acesso. Por isso, essas peculiaridades podem tornar a assistência robótica vantajosa para a equipe cirúrgica e o paciente.


Fatores limitantes para a cirurgia robótica

Além do alto custo, alguns dos maiores limitadores na aplicação da cirurgia robótica para endometriose são o tempo e a dificuldade de posicionamento do equipamento durante a cirurgia.


Isto é, como o intestino grosso está distribuído nos quatro quadrantes do abdome, isso exige a mudança dos locais dos braços robóticos e perda de tempo, dificultando o procedimento.

Exemplo de como é uma cirurgia robótica
Exemplo de como é uma cirurgia robótica

Por outro lado, essa limitação é minimizada por meio da realização de uma cirurgia em um ponto específico, o que faz que os pontos fortes do uso da assistência se tornem mais facilmente aproveitados.


Estudos sobre a cirurgia de endometriose

Em recente estudo publicado por pesquisadores na Itália, foi concluído que a abordagem robótica não causou aumento de riscos no tratamento da endometriose profunda quando comparada com a cirurgia laparoscópica – outra via de acesso minimamente invasiva e que é atualmente a mais utilizada em nosso meio.


Além disso, em 2021, uma publicação norte-americana mostrou a viabilidade da cirurgia robótica na abordagem de lesões endometrióticas, com melhora da visão e ergonomia para o cirurgião.


Mas novas evidências cientificas mais robustas são necessárias para definir o efetivo benefício dessa técnica.


Particularidades da técnica

Se temos uma técnica que não é inferior e que pode permitir melhor conforto, visibilidade e consequente qualidade, ela deve ser no mínimo considerada no tratamento das mulheres acometidas pela endometriose.


Mas não podemos esquecer que, sempre que uma nova tecnologia é apresentada, ela não deve ser assimilada apenas por modismo. É sempre importante reconsiderar os aspectos técnicos e os resultados cirúrgicos, à luz do conhecimento científico.


É inegável que os avanços têm acontecido de maneira muito rápida, e cabe a nós acompanharmos aquilo que pode trazer benefícios, mas sempre com olhos críticos. Em outras palavras, tudo o que falamos no post de hoje reflete aquilo que se sabe até agora e pode mudar a qualquer momento.


Felicidade e paz!

Σχόλια


bottom of page