top of page

Fissuras anais

Fissuras são rupturas da superfície de revestimento do canal anal, que ocorrem devido principalmente a traumatismo, esforços exagerados e excesso de contração muscular do canal anal. Estas lesões são extremamente dolorosas e comuns. Quando ocorrem, em sua maioria a cicatrização ocorre em quarenta e oito horas, desde que os fatores causadores não persistam.

Infelizmente, em alguns pacientes, a dor o leva a inibir o reflexo de evacuar. Isto faz com que as fezes retidas tornem-se mais duras, o que gera a necessidade de maior esforço evacuatório e novo traumatismo na área fissurada. Associa-se a isto uma hipertonia (excesso de pressão) da musculatura do canal anal, que diminui a circulação de sangue no local e dificulta mais ainda a cicatrização.

Configura-se um círculo vicioso de formação e manutenção da fissura anal crônica.

Chamamos de crônica pelo tempo de persistência e pelas características anatômicas que ela desenvolve, uma tríade: plicoma sentinela (prega de pele externa), a fissura propriamente dita e uma papila hipertrófica (processo inflamatório interno no canal anal com exteriorização de nódulo pelo anus) (FIGURA).

FIGURA

Fonte da imagem: http://proctosaude.com.br/wordpress/?page_id=835

O diagnóstico da fissura anal é feito durante o exame clínico pelo Coloproctologista e o tratamento, na maioria das vezes, é clínico e envolve a correção da dieta e do hábito intestinal, banhos com água morna, uso de medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios e pomadas que diminuirão a pressão do canal anal. Esta diminuição permitirá melhor circulação do sangue no local e aumentará as chances de cicatrização.

Quando o tratamento clínico não resulta em cura do paciente, a cirurgia pode se fazer necessária, com várias técnicas disponíveis e que podem ser discutidas com o médico.

Comentários


bottom of page