top of page

Dor pélvica na mulher: quais são as causas mais comuns?

A dor pélvica na mulher, também chamada de dor no baixo ventre, é um tema muito recorrente no consultório do coloproctologista. Quando eu me tornei membro de uma equipe multidisciplinar, com foco na saúde da mulher, percebi que a dor pélvica era um dos sintomas mais comuns e mais debilitantes nas nossas pacientes.


Tanto isso é verdade que, algumas vezes, precisamos de profissionais da área de ginecologia, coloproctologia, urologia, radiologia, medicina da dor e até ortopedia para tentar chegar a um diagnóstico.


Muitas mulheres nos perguntam, porque é tão difícil descobrir o problema?


Entenda a dor pélvica na mulher

A região pélvica tem uma anatomia extremamente complexa, com estruturas de todos os sistemas do nosso organismo:

  • Reprodutor

  • Digestivo

  • Nervoso

  • Excretor (urinário)

  • Circulatório

Além de tudo isso, na mulher, a influência dos ciclos menstruais é muito importante na determinação da sensibilidade da região.


E, ainda, aspectos sócio-ambientais também importam, pois posições viciosas, esforços repetitivos, hábitos de vida e até a situação ambiental e do humor da paciente podem gerar dor.


Em outras palavras, são centenas de causas para a dor pélvica e vamos listar algumas das mais frequentes e importantes.


Diferenças de dor pélvica na mulher

Para facilitar o entendimento é preciso separar as causas da dor pélvica na mulher em agudas – em que a dor tem início mais abrupto e bem definido e seu curso mais curto – e crônicas – geralmente de aparecimento mais gradual e duradouro.


É significativo lembrar que, mesmo as dores crônicas, apesar de terem seu início mais insidioso, um dia elas têm que começar, isto é, um dia ela foi aguda. Outro ponto é que essa classificação das dores não tem a ver com sua intensidade, podendo ambas serem muito debilitantes.


Dor pélvica aguda na mulher

Os principais representantes dessa lista são consideradas urgências médicas e demandam uma avaliação em pronto atendimento. Por isso, serão destacadas.


Apendicite aguda - URGÊNCIA

Essa dor pélvica consiste na inflamação do apêndice cecal, órgão que fica localizado na parte inicial do intestino grosso.

Ele tem a forma de pequeno tubo em fundo cego, conectado ao cólon direito. Sua posição pode variar muito e com frequência pode ficar próximo à pelve e manifesta dor principalmente baixa e do lado direito em pessoas jovens.


Diverticulite aguda - URGÊNCIA

Nesse outro processo inflamatório do intestino grosso, vale lembrar que os divertículos são pequenas saculações que se apresentam com mais frequência do lado esquerdo e causam dor importante, com sinais inflamatórios intra-abdominais.


São mais comuns em pessoas de idade superior a 50 anos e costumam estar associados a alteração do hábito do intestino.


Infecção urinária - URGÊNCIA

É uma infecção do trato urinário que se inicia geralmente na bexiga e pode subir até os rins. Os principais sintomas são dor pélvica mais central, vontade de urinar toda hora em pequenas quantidades e, ocasionalmente, dor lombar e febre.


Cólicas menstruais

As cólicas menstruais talvez sejam a causa mais comum de dor pélvica aguda na mulher. São recorrentes, associadas ao ciclo menstrual, costumam ter intensidade de moderada a intensa e controladas com uso de analgésicos. Em caso de intensidade insuportável, um pronto atendimento deve ser procurado.


Ovulação

Quando uma pessoa ovula, a liberação do oócito (popularmente conhecido como óvulo) pode gerar queda de líquidos e sangue na cavidade peritoneal, o que pode gerar dor. Normalmente, as ovulações acontecem de um lado ou outro da pelve, são de intensidade leve e têm relação com a metade do ciclo menstrual.


Se suas características se diferenciam muito do usual, um médico deve ser consultado.


Infecções sexualmente transmissíveis (IST) - URGÊNCIA

Como em posts anteriores aqui no blog, detalhamos em profundidade as IST mais comuns. Em sua maioria, elas podem gerar dor pélvica e até sua evolução mais temida, a doença inflamatória pélvica.


Nessa evolução, a infecção toma direção ascendente no útero e que cursa com febre, dor e secreção vaginal, com coloração turva e odor fétido.


Gravidez ectópica - URGÊNCIA

A gravidez ectópica ocorre quando se dá em um local fora da cavidade do útero. O local mais comum é nas trompas e, além da dor, pode evoluir com hemorragias, que levam a mulher ao risco de morte.

A gravidez ectópica pode ser uma causa de dor pélvica na mulher
A gravidez ectópica pode ser uma causa de dor pélvica na mulher

A maioria dos casos consegue ser diagnosticada antes que a trompa se rompa, mas, em todas as mulheres em idade fértil, deve haver a pesquisa da possibilidade de gravidez. A dor inicial é localizada na pelve, mas se o sangramento acontece e persiste, ela se torna generalizada e sinais de anemia aguda começam a aparecer.


Cálculos urinários - URGÊNCIA

Os cálculos que se formam nos rins e migram pelo trato urinário são considerados urgência pela intensidade da dor, que é incapacitante, e pelo risco de obstruir os canais em que a urina passa. Com o tempo, pode aumentar a chance de causar infecções e perda da função do rim.


As dores podem acontecer na pelve, são de um lado só e irradiam para a região lombar.


Dor pélvica crônica na mulher

Agora vamos mencionar alguns possíveis casos de dor pélvica crônica na mulher.


Endometriose

Como vimos nos posts anteriores específicos sobre a endometriose, o desenvolvimento de tecido endometrial fora da cavidade uterina pode causar dores de difícil tratamento, sendo muito debilitantes e determinam perda significativa da qualidade de vida.


Para ajudar no diagnóstico da endometriose pélvica, o médico deverá considerar as queixas das mulheres com dor pélvica de caráter recorrente, geralmente relacionada ao ciclo menstrual e infertilidade e que pode piorar durante a relação sexual.


Aderências pélvicas

As aderências podem estar relacionadas a:

  • Cirurgias anteriores

  • Inflamações

  • Infecções

  • Endometriose

Elas determinam a subversão da posição usual dos órgãos na cavidade abdominal. Isso faz com que a movimentação natural das estruturas seja prejudicada, o que gera movimentos em bloco e trações que não deveriam acontecer. E, assim, dão início a quadros de dor.


Cistos ovarianos

Os cistos são coleções líquidas, bem delimitadas, com tamanho variado e que podem ser benignos, pré-malignos e malignos. Tem as causas mais variadas e, quanto mais cresce, maior a chance de torcerem ou se romperem, causando dor por irritação da cavidade peritoneal e falta de oxigenação do ovário.


Síndrome do intestino irritável (SII)

Dor pélvica, com características de cólicas intestinais, que pioram ou melhoram com a evacuação e geralmente acompanham o paciente por muitos anos até ser finalmente diagnosticada.


Casos de Síndrome do intestino irritável possuem critérios clínicos de diagnóstico e a maioria das pacientes observa que a dor tem a ver com:

  • Estado emocional

  • Dieta

  • Ciclo menstrual

  • Ambiente

Conclusão

Ufa, muita coisa não é?


Por isso, em caso de dor pélvica na mulher, que persiste, limita a vida, é muito importante procurar um especialista para chegar a um diagnóstico e, então, tratamento.


Até semana que vem.

bottom of page