top of page

O formato das fezes importa?

O formato das fezes importa, mas não é tudo. No texto de hoje vamos entender melhor sobre a classificação de Bristol e suas implicações. Já tivemos oportunidade de abordar neste texto o que é o hábito intestinal normal e quando o intestino está preso. Nele, vimos que evacuar todo dia não é a definição de intestino saudável.


Em outras palavras, não é a frequência apenas que importa, mas alguns fatores como:

  • Sensação de satisfação após a evacuação - aquela sensação de reto “vazio”

  • Ausência de esforço para as fezes saírem

  • Fezes bem formadas

É sobre isso que o texto de hoje vai tratar: se o formato das fezes importa, e o que é normal ou anormal.


Classificação dos tipos de fezes

Para quem ainda não sabia, existe a classificação de Bristol para definir os tipos de fezes. Ela nos permite comparar e ajudar a entender como nossos pacientes nos repassam as informações. Vou colocar para vocês aqui:

  • Tipo 1: pequenas bolinhas duras, separadas como coquinhos - difícil para sair

  • Tipo 2: formato de linguiça encaroçada, com pequenas bolinhas grudadas

  • Tipo 3: formato de linguiça com rachaduras na superfície

  • Tipo 4: alongada com formato de salsicha ou cobra, lisa e macia

  • Tipo 5: pedaços macios e separados, com bordas bem definidas (fáceis de sair)

  • Tipo 6: massa pastosa e fofa, com bordas irregulares

  • Tipo 7: totalmente líquida, sem pedaços sólidos

Normalmente, consideramos os tipos 3 e 4 como sendo o ideal para a pessoa evacuar e obter os três objetivos de evacuação listados anteriormente, mas isso não quer dizer que quem evacua de maneira diferente tem algum problema.


Você olha para as suas fezes?

Olhar as fezes deve deixar de ser tabu, como já abordamos neste texto. Isto é, olhar para o vaso após a evacuação nos permite identificar sangue, muco, pus e anormalidades que indicam o momento de procurar o especialista.


Mais importante do que o tipo das fezes, as modificações no hábito diário devem ser observadas.


Diarreia ou constipação é normal?

Todo mundo pode evacuar eventualmente com fezes mal formadas, tanto pendendo a constipação intestinal, quanto para a diarreia. Quando isso se torna comum e recorrente, aí devemos ficar atentos.


Um intestino que sempre formou fezes duras e ressecadas começa a levantar alerta quando começa a eliminar dejeções amolecidas e vice-versa. Nesses casos, procure um médico.


Cada pessoa é diferente – mas não exagere!

Uma parcela significativa das pessoas tem o intestino preso, outras evacuam duas a três vezes ao dia. Saber que variações individuais são normais é fundamental, ou seja, cada pessoa tem uma rotina evacuatória, mas isso deve ser visto à luz de uma regularidade alimentar.


Não adianta chegar no consultório do especialista, falar que só come “junk food”, não ingere fibras e não se hidrata suficientemente e, ainda assim, quer se evacuar bem.

Os hábitos de vida interferem no formato das fezes e na saúde como um todo
Os hábitos de vida interferem no formato das fezes e na saúde como um todo

Milagres são difíceis de realizar. Já não é fácil explicar para alguns pacientes que mesmo fazendo tudo certo, tem gente que não evacua bem…


Como melhorar o formato das fezes

Os primeiros passos para melhorar não só o formato, mas tudo relacionado ao hábito intestinal, são sempre relacionados à melhora dos hábitos de vida. Por exemplo:

  • Ingerir fibras de maneira regular

  • Hidratar-se bem

  • Evitar alimentos industrializados e ultraprocessados

Mensagem para casa

Não fique estressado por conta de uma evacuação alterada. Use a classificação de Bristol para entender melhor o formato das fezes e te ajudar a relatar melhor sua evacuação para o médico.


Não fique obsessivo com sua evacuação, mas relate sempre as modificações recorrentes e que te causam sofrimentos.


O importante é ser feliz. Sentir-se bem ao ir ao banheiro deve ser sempre o objetivo.

Comentários


bottom of page