top of page

Por que devo olhar para o meu cocô?

É preciso perder a vergonha e o constrangimento de olhar o próprio cocô! Parece um assunto banal, e muitos talvez se perguntem qual o motivo de tal discussão, mas ela é mais pertinente do que vocês pensam.


Não é raro na entrevista médica perguntarmos questões como:

  • “Como são as suas fezes?”

  • “Há presença de sangue ou muco, ou alguma característica atípica nelas?”

Os pacientes costumam responder que nem olham “o produto da sua atuação”, pois querem resolver o “serviço” o mais rápido possível e dar descarga.


Como é formado o cocô

O post de hoje tem como objetivo ajudar vocês a perderem o constrangimento sobre esse processo natural de nosso corpo e, assim, permitir que vocês usem as características das suas fezes para transmitir informações importantes ao médico.


Para tanto, é importante entender que a formação do bolo fecal é influenciada por muitos fatores como:

  • Dieta;

  • Capacidade absortiva do intestino;

  • Uso de medicações;

  • Hidratação;

  • Gênero;

  • Ingestão de bebidas alcoólicas;

  • Outros.

Por isso, reforçamos que o paciente precisa de autoconhecimento sobre as intolerâncias a determinados alimentos ou situações associadas à alteração do hábito evacuatório, para poder ajudar na conduta médica.


Por exemplo, a ingestão de lactose por pessoas incapazes de digerir esse carboidrato pode gerar diarreia com fezes mal formadas e produção de gases por fermentação. Para saber mais, leia o nosso post sobre intolerância aos derivados do leite.


O que devemos olhar no cocô?

Agora, vamos apontar exemplos que alteram as fezes e que devem ser observados, pois podem ser sinais de problemas com o seu organismo.

A Escala de Bristol é uma referência para as características das fezes
A Escala de Bristol é uma referência para as características das fezes

Fezes que boiam

As fezes gordurosas costumam boiar na água do vaso sanitário. Isso pode ser sinal de excesso de gordura no cocô, como em quadros de:

  • Uso de medicações que inibem a absorção de lipídeos (como Orlistat);

  • Cirurgia prévia de retirada da vesícula;

  • Problemas pancreáticos e do fígado.

Fezes com sangue

As fezes com sangue em volta são sinal de que o sangramento pode estar na parte final do intestino, isto é, a parte em que o bolo fecal está formado. Esse é um exemplo de:

Partes mais escuras no cocô

Fezes com partes mais escuras e misturadas na “massa” fecal podem ser sinal de que o sangramento está no estômago, intestino delgado ou início do intestino grosso, como no caso de:

  • Alterações vasculares;

  • Úlceras;

  • Doenças inflamatórias intestinais.

Cocô com muco ou pus

Fezes que apresentam muco ou pus são sinal de processo em que há produção exagerada de muco pela parede do intestino ou perda da integridade da mucosa que reveste o órgão. Em outras palavras, podem indicar:

Fezes amassadas ou afiladas

As fezes que são formadas, mas estão amassadas ou afiladas indicam que houve uma dificuldade de passagem do bolo fecal na parte final do intestino. Isso é sinal de estreitamentos benignos ou malignos nos 40 cm finais do cólon, reto e ânus.


Fezes em bolinhas

Quando o cocô está em bolinhas ou fragmentado e enrijecido, é possível que esteja associados à pouca hidratação, constipação crônica ou desbalanço alimentar.


Cocô esverdeado

As fezes esverdeadas podem ser sinal de um bolo fecal mal digerido e ácido.


Conhecer as próprias fezes é fundamental

Viram como é importante uma informação tão básica? Basta perder o medo e olhar para o seu cocô para que você possa ajudar muito seu médico a entender o seu problema.


Além disso, se você notar que houve alteração significativa do bolo fecal e isso está sendo persistente, procure ajuda!

Comments


bottom of page