top of page

Câncer de intestino no idoso: a idade limita o tratamento?

Como dedicamos este mês à conscientização do câncer de intestino (e também à endometriose), é o momento propício de debater um tema que representa um desafio para o doente, sua família e o médico.


Apesar de o câncer de intestino estar sendo diagnosticado em pessoas cada vez mais jovens, os idosos ainda representam a maioria dos nossos pacientes.


Mas será que a idade limita a indicação do tratamento?


A resposta é não, mas a idade é uma variável levada em conta nas principais decisões.


Evolução da medicina no tratamento de câncer

A medicina tem evoluído cada vez mais, e pudemos ver em nosso post sobre prevenção de câncer em pessoas acima de 80 anos que cada caso deve ser analisado de maneira individual e, de forma alguma, podemos ser mais agressivos que a doença.


Em outras palavras, quem trabalha com oncologia sempre está analisando qual é a melhor opção para cada paciente, sendo idoso ou não.


Diferença de tratamento de câncer no idoso

Realmente, o organismo vai perdendo suas reservas durante o envelhecimento, e a manutenção do equilíbrio na vida é muito mais delicada. Entretanto, encontramos cada vez mais gente que se alimenta bem, pratica atividades e cuida de sua saúde.

A prática de atividade física é essencial em todas as idades
A prática de atividade física é essencial em todas as idades

Em nossa clínica, nós já operamos pacientes com menos de 50 anos com a saúde muito mais precária do que muitos idosos. Ou seja, a decisão com relação ao tratamento tem que ser individualizada.


Variáveis que influenciam o tipo de tratamento

Para nos ajudar a entender melhor os fatores que influenciam na definição do tratamento, geralmente nos valemos de algumas informações:

  • idade

  • estágio da doença

  • tratamento proposto

  • escalas de performance

  • controle de doenças sistêmicas

  • avaliações de especialistas

  • estado nutricional

  • hospital adequado

Idade do paciente

Principalmente quando se trata dos pacientes com mais de 80 anos, existem cuidados especiais que devem ser tomados ao se preparar para uma cirurgia. O acompanhamento anestesiológico durante o procedimento e clínico intensivo no pós-operatório faz muita diferença na recuperação.


Além disso, a utilização de materiais especiais como mantas térmicas, monitorização invasiva e prevenção de infecções e trombose são fundamentais.


Estágio da doença

Quanto mais avançado o câncer, mais agressivo é o tratamento e nem sempre a cura pode ser almejada. Sendo assim, dependendo do avanço no momento do diagnóstico, a conduta vai mudar. Por isso, mantenha exames como a colonoscopia em dia!


Tratamento proposto

Dependendo da localização do tumor, o tratamento cirúrgico pode ser mais ou menos extenso, o que pode limitar sua indicação para certos indivíduos que não o suportam.


Escalas de performance

Geralmente, utilizamos as escalas para definir o grau de independência das pessoas frente às atividades de vida diária. A mais utilizada em oncologia é a escala de Performance ECOG - sigla em inglês para grupo de oncologia cooperativo ocidental.


Essa escala varia entre 0 (a pessoa é totalmente independente e capaz de realizar atividades sem limitação) e 5 (há dependência total para todas atividades em um paciente acamado).


Quando há limitações, o tratamento pode ser bastante influenciado.


Controle de doenças sistêmicas e avaliações de especialistas

Quando envelhecemos, é comum a possibilidade de apresentarmos outras doenças como pressão alta, diabetes e problemas de tireoide. Então, esses problemas devem ser controlados para que o sucesso seja obtido.


Estado nutricional

O câncer é uma doença consumptiva, e o estado nutricional pode piorar a evolução de um paciente no pós-operatório. Suplementação específica e terapia de recuperação nutricional geralmente é suficiente para chegar a um estado adequado no pré-operatório.


Hospital adequado

Um hospital com recursos e profissionais treinados é muito importante para abordagem adequada do paciente idoso.


Conclusão: não é só a idade que importa

Ao longo do texto, viram como não é só a idade que importa? Cada vez tratamos pacientes mais velhos e com evolução semelhante a pacientes com menos de 60 anos.


Então, fiquem alerta e mantenham seus exames de controle em dia! A chance de cura aumenta quanto mais cedo o câncer é diagnosticado.


E, lembrem-se, Março Azul é o mês de conscientização sobre o câncer de intestino.

Comments


bottom of page