top of page

Todo tratamento de hemorroidas dói?

Quando falamos de hemorroida, a queixa mais comum que observamos em nossa prática diária é a dor. Os pacientes chegam ao consultório e falam frases como “vou ter que operar a hemorroida?”, “me falaram que a cirurgia de hemorroida dói demais” e “será que não há um procedimento alternativo?”.


O maior problema é que não dá pra discutir sobre tratamento de hemorroidas como se tudo relacionado a elas fosse generalizável e pudesse ser colocado em uma única trilha de tratamento.


O que são as hemorroidas

Como já discutimos em posts anteriores, as hemorroidas são estruturas anatômicas com função de continência e proteção do canal anal e que, em alguns casos, apresentam modificações patológicas capazes de gerar sintomas bastante alarmantes e limitadores para a qualidade de vida.


Não é à toa que a doença hemorroidária possui diferentes classificações, e os diferentes graus se manifestam com sinais e sintomas que indicarão diferentes tratamentos.


Sabendo disso, é importante salientar que cada paciente deve ser tratado individualmente, de acordo com suas manifestações, visto que não é uma doença maligna, além de raramente representar uma ameaça à vida.


Existe tratamento de hemorroida sem dor?

Então, voltamos à pergunta inicial: é possível tratar a hemorroida sem dor?


A resposta é um definitivo SIM. Entretanto, algumas peculiaridades devem ser observadas.


Sempre é possível para o médico indicar o tratamento clínico com modificações de hábitos de vida e medicações. Porém, essas medidas raramente possibilitam a cura definitiva da hemorroida e, sendo assim, é frequente a necessidade de manutenção ou repetições de ciclos de pomadas e comprimidos que visam o controle das queixas.


A explicação para isso é que o defeito observado nas hemorroidas é anatômico, isto é, há alteração da estrutura do canal anal e nenhuma medicação consegue erradicar o problema.


Nem sempre basta o tratamento clínico para hemorroidas

Em outras palavras, muitos chamam essas recomendações clínicas de tratamento paliativo mas, em casos iniciais, pode haver melhora definitiva ou pelo menos prolongada do sofrimento.

O tratamento de hemorroidas, clínico ou não, deve ser sempre personalizado
O tratamento de hemorroidas, clínico ou não, deve ser sempre personalizado

Algumas pessoas que apresentam doença hemorroidária não respondem ao tratamento clínico ou já têm indicação de procedimento corretivo, desde o diagnóstico (exposição persistente, dor intratável ou infecção recorrente).


Hoje em dia, temos à disposição um grande número de técnicas com diferentes indicações, índice de sucesso, intensidade da dor e até de valor a ser pago.


4 procedimentos para tratar hemorroidas

Abaixo, listamos os principais procedimentos, suas principais indicações e características.


1. Ligadura elástica

A ligadura elástica é uma técnica que consiste no posicionamento de anel elástico na hemorroida. Isso induz à falta de circulação de sangue no coxim tratado com sua queda e fibrose cicatricial que ajudam na diminuição dos sintomas de sangramento e exteriorização de mamilos pelo ânus.

  • Indicações: hemorroidas de grau 1 a 3;

  • Vantagens: dor muito discreta após o procedimento, baixo risco de complicações, índice de resolução de até 80% dos sintomas e o fato de ser feito no consultório, com baixo custo;

  • Desvantagens: não pode ser realizada em alguns tipos de hemorroidas e é feita normalmente em mais de uma sessão (entre 2 a 3 visitas ao consultório).

2. Desarterialização

A desarterialização é um recurso cirúrgico, guiado por doppler, que visa diminuir o fluxo sanguíneo nos vasos hemorroidários e dar pequenos pontos nas hemorroidas. O objetivo é fazer com que o excesso que vai para fora possa ser preso dentro do canal anal.


Esse procedimento também conhecido como THD ou Minipex. Saiba mais sobre este procedimento no nosso post sobre cirurgia de hemorroidas.

  • Indicações: hemorroidas de grau 2 e 3;

  • Vantagens: dor normalmente de intensidade leve a moderada após o procedimento, retorno ao trabalho mais rápido e resolução completa das hemorroidas graus 2 e 3 em até 85% dos casos;

  • Desvantagens: não é capaz de resolver todos os tipos de hemorroidas, pode haver dor no pós-operatório e tem maior custo, por usar mais tecnologia.

3. Laser e radiofrequência

O laser e a radiofrequência, apesar de serem técnicas totalmente diferentes, seguem o mesmo princípio: a destruição térmica do tecido hemorroidário, com consequente fibrose.


Em outras palavras, isso diminui o sangramento e a exteriorização dos mamilos hemorroidários, através do canal anal. Escrevi um post sobre o laser no nosso blog.

  • Indicações: hemorroidas de grau 2 a 3;

  • Vantagens: dor normalmente de intensidade leve a moderada após o procedimento, retorno ao trabalho mais rápido e resolução completa das hemorroidas graus 2 e 3 em cerca de 85% dos pacientes;

  • Desvantagens: não consegue resolver todos os tipos de hemorroidas, pode haver dor no pós-operatório, tem maior custo por usar mais tecnologia.

4. Hemorroidectomia

A hemorroidectomia consiste na remoção cirúrgica das hemorroidas. É a chamada cirurgia de hemorroidas convencional, muito temida, mas que apresenta excelentes resultados quando bem indicada.


Se as orientações do médico assistente forem seguidas, a dor é bem controlável.

  • Indicações: hemorroidas de qualquer grau;

  • Vantagens: melhor taxa de resolução definitiva, chegando até a 98% de bons resultados a médio e longo prazo, além de apresentar baixo custo e risco;

  • Desvantagens: dor moderada a intensa no pós-operatório (de 7 a 10 dias) e maior tempo de absenteísmo ao trabalho.

Tratamentos são sempre personalizados

Então, podemos averiguar que existem vários tipos de tratamento de hemorroidas, alguns com mais ou menos dor relacionados a eles. Considerando que se trata de uma doença benigna, temos a possibilidade de escolher o tratamento de acordo com o que o paciente sente, o que ele almeja e o tipo de hemorroida que o acomete.


De toda forma, quando o procedimento é bem indicado, a recuperação supera em muito o desconforto. Uma frase que acho muito pertinente é: não vale a pena sofrer por dez anos por medo de um pós-operatório de dez dias.


Escolha deve ser feita por médico e paciente

Mas existem sim opções em que o desconforto é bem menor. Ou seja, cabe ao médico auxiliar o paciente com relação às alternativas para que não corra risco de fazer uma cirurgia mal indicada e, então, se arrepender do resultado posteriormente.


Outro fator importante na decisão do tipo de tratamento para hemorroidas é o custo. Quanto mais tecnologia embarcada no procedimento, maior será o valor a ser pago, o que pode ser significativo na seleção.


Em outras palavras, participe da decisão e escolha conscientemente. Você não vai se arrepender!


Se houver mais dúvidas sobre esse ou outros assuntos, deixe sua sugestão no nosso Instagram ou Facebook. Até semana que vem!

Σχόλια


bottom of page